Publicidade cabeçário

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Fund. Redes Computador - Coexistência e Transição do ipv6


Existem técnicas de transição do Ipv4 para o Ipv6 que são divididas em três categorias:
Ø  Pilha Dupla ou Dual Stack
o    Provê o suporte a ambos os protocolos no mesmo dispositivo.
Ø  Tunelamento
o   Permite o tráfego de pacotes IPv6 sobre a estrutura da rede IPv4 já existente.
Ø  Tradução
o   Permite a comunicação entre nós com suporte apenas a IPv6 com nós que suportam apenas IPv4.

Exemplo de Comunicação por Pilha Dupla ou Dual Stack
Exemplo de Comunicação por Pilha Dupla ou Dual Stack
Fonte da Imagem:bdfatec.blogspot.com.br


Pilha Dupla ou Dual Stack


De acordo Santos et al (2010, p. 178) “ A utilização deste método permite que hosts e roteadores estejam equipados com pilhas para ambos os protocolos, tendo a capacidade de enviar e receber os dois pacotes, IPv4 e IPv6.”A configuração de cada mecanismo para adquirir seu  endereçamento é realizada pelas funcionalidades de cada protocolo, para IPv4 é utilizado o DHCP e IP Fixo. No IPv6 a
configuração é realizada por Link Local, Autoconfiguração e DHCPv6.


Na atual fase de implantação do IPv6, não é aconselhável ter nós com suporte apenas a esta versão do protocolo IP, visto que muitos serviços e dispositivos na Internet ainda trabalham somente com IPv4. Como citado anteriormente, manter o IPv4 já existente funcionando de forma estável e implantar o IPv6 nativamente, para que coexistam nos mesmos equipamentos, é a forma básica escolhida para a transição na Internet.  Esta técnica é conhecida como pilha dupla (Dual Stack ou DS) e deve ser usada sempre que possível.

Cenário da internet atual
Fonte da Imagem:bdfatec.blogspot.com.br
A utilização deste método permite que dispositivos e roteadores estejam equipados com pilhas para ambos os protocolos, tendo a capacidade de enviar e receber os dois tipos de pacotes, IPv4 e IPv6. Com isso, um nó Pilha Dupla, ou nó IPv6/IPv4, se comportará como um nó IPv6 na comunicação com outro nó IPv6 e se comportará como um nó IPv4 na comunicação com outro nó IPv4.

Cada nó IPv6/IPv4 é configurado com ambos endereços, utilizando mecanismos IPv4 (ex. DHCP) para adquirir seu endereço IPv4 e mecanismos IPv6 (ex. configuração manual, autoconfiguração stateless e/ou DHCPv6) para adquirir seu endereço IPv6.

Este método de transição permite uma implantação gradual, com a configuração de  pequenas seções do ambiente de rede de cada vez. Além disso, caso no futuro o IPv4 não seja mais usado, basta simplesmente desabilitar a pilha IPv4 em cada nó.


Para Filippetti (2008, p. 179) “A vantagem deste método é que novos elementos de rede já podem ser endereçados em IPv6, e os elementos já existentes podem ser migrados em fases sem grandes impactos.” 

Para saber mais acesse:ipv6.br/entenda/transicao

Fonte: <Ferramentas para Coexistência e Transição ipv4 e ipv6,cgi.br>
            <HEIDRICH,ANDRÉ. em Implementando um mecanismo de transição ipv4-ipv6>
Adaptado:Arroyo, Gabriel.