Publicidade cabeçário

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Poesia: Nuvens de algodão

Poesia: Nuvens de algodão

Procura-se toda forma de amor e afeto.
Procura-se o dissabor da paixão...
Espera-se a compreensão desmedida,
Almeja-se uma companhia de honra.
Volta e meia encontra-se o destempero
A frustração... A expectativa tem seu revés.
Controla-se a impulsividade excessiva...
Sonha-se com noites sorridentes.

Nuvens de algodão


É bem verdade que a caixa de pandora estava vazia
Mas quem se importa?
Descobrir que tudo o que você precisa está em você mesmo?
A fantasia de encontrar a salvação ao lado...
Gostoso mesmo é acreditar que renas voam pelos céus,
Que as nuvens são macias na Fofolândia...
Realmente é maravilhoso! 


Autor: Gabriel Arroyo

Para baixar clique aqui